12 março 2008

Desembarque pelo lado esquerdo do trem!

Vivo on-line, e conheço gente a torto e a direito, de todo canto, mas sempre que eu falo que quero sair de São Paulo sou taxado de doido!

Tenho amigos em Manaus, Belém, Aracaju, Rio, Salvador, entre outras trocentas cidades, loucos para vir morar em São Paulo. Não que seja uma novidade eu andar na contra mão, acho até que isso é uma regra na minha vida, mas a verdade é que há muito tempo não agüento mais essa cidade.

Ontem virou manchete em todos os noticiários e mídias web e impressas (mais) um assassinato a tiro no transito. Já estamos a duas semanas batendo recordes de engarrafamentos, dia após dia. Filas intermináveis de pessoas de todas as idades nos hospitais e postos de saúde apresentando doenças respiratórias decorrentes da poluição que cresce paralelamente ao crescimento da frota de carros entupindo nosso sistema rodoviário e respiratório.

Alguns estudiosos de logística urbana (meu Deus) sugeriram a instalação de pedágios na região metropolitana nas áreas de maior circulação para inibir os motoristas e forçá-los a utilizar o transporte público. Se esses são os especialistas eu prefiro ficar no butiquim (bo te quim, segundo o tio Aurélio) papeando com outros catedráticos.

Se você é usuário do transporte público de São Paulo sabe muito bem que ele é uma piada absolutamente sem graça, muito pior que humor negro. Minhas condolências!

O transporte sobre pneus, na minha opinião, só serve pra três coisas: despejar dióxido de carbono e outras tralhas na atmosfera, atrasar por só andar na faixa da direita e passar batido quando você, depois de ter corrido duas quadras chegou no ponto ofegante à toa.

É óbvio que a solução é o METRÔ, já que nossas ruas e avenidas, quando projetadas (até parece) não visavam o volume de carros de hoje. O complicado é saber que o metrô não está dando conta do recado.

O metrô mais antigo do mundo (fundado em 1863) e também o mais extenso é o de Londres, conhecido como London Underground ou The Tube, apesar de ter 55% da rede de trilhos na superfície.

O metrô de São Paulo é dono do 41° lugar no quesito extensão. Há um plano de expansão em andamento (me engana que eu gosto) que promete até 2010 (hahah) incluir 30 quilômetros de novos trechos e transformar os 257,5 quilômetros da malha ferroviária em metrô de superfície.

Dá uma olhadinha na informação sintetizada: Clica que ela cresce!

Agora é torcer como todo bom Brasileiro para que as promessas de expansão da malha metroviária e a transformação das atuais linhas ferroviárias em Metrô de superfície sejam mesmo cumpridas, para que possamos sentir prazer de nos locomover nessa cidade tão linda.

Um comentário:

SãoPauliNa-RP disse...

Oiiiiiiiiiiiiiiiiiii

tudo bem com vc??
Nossa seu blog está demais
Parabénnssss!!!!

Amei tudo aqui..
principalmente o Deep,
rs...passa no meu depois..
sera um prazer te-lo por la..

Beijosssssssssss