26 novembro 2009

- 52

Quem me conhece sabe que não curto muito TV. São bem poucos: Roda Viva, Fudêncio, Megatrilha, jogos de futebol, StayHeavy e só. Ah, tem tb o CQC, que, pra minha (grata?) surpresa trouxe Geisy Arrudo - a loira do microvestido - para o CQTest, um quadro onde o convidado deve responder a cinco perguntas, algumas fáceis, outras difíceis, outras capiciosas. Olha só as perguntas que o repórter fez pra mina:
  1. Em que ano foi inventado a minissaia?
  2. O que está escrito na bandeira do Estado de São Paulo?
  3. Que metal pode ser usado para a geração de energia nuclear?
  4. Qual o maior planeta do sistema solar?
  5. Essa aí eu não me lembro - quem souber, me dê um help

Olha só as respostas da universitária:

  1. Década de 70, qdo o correto era 60;
  2. Justiça e progresso. Na verdade não há coisa alguma escrita.
  3. "Metal" foi a resposta. Urânio era a resposta.
  4. Terra. Nem preciso dizer: Júpiter é o maior!

Não sei o que é pior: ser humilhada e descriminada por alunos escrotos e babacas, ou responder a somente uma pergunta correta, com um assoprão do Rafael Cortez. O placar final foi de - 52, sim, menos cinquenta e dois! E pensar q o maior é 258 pontos!!! Vergonhoso, pra não dizer mais nada.

Acho q em vez de pensar somente em processar a Uniban e se preocupar em aparecer em todos os canais da TV aberta, revistas e jornais, a moçoila deveria investir um pouco em cultura. Numa boa.

Um comentário:

Frank disse...

Cara....ela tentou investir em cultura, Se matriculou numa Universidade e tudo mais. Como a geisy (lóóógico) há muita gente nas faculdades e universidades nessa mesma situação. Homens e mulheres, loiros(as) e morenos(as), de todas as faixas da sociedade. Sou contra vestibulares desumanos por que nossa educação de base não nos prepara para tal. A admissão numa faculdade e universidade deveria ser automática, vagas garantidas para todos que concluírem o ensino médio. Mas para isso a qualidade do sistema educacional deve progredir em todos os níveis. Quem sabe um dia??

Agora, crucificar a Geisy não serve nem de piada, pois como ela (outra vez) estão simplesmente a maioria dos alunos. Perdidos como cegos em tiroteio.