22 janeiro 2008

ALOHA!!!

A primeira vez que eu ouvi a voz do “Gentil Gigante” foi na trilha sonora de “50 First Times”, uma comédia romântica que me fez chorar uma cachoeira. Lembro que na ocasião fiquei louco pra achar a música e o dono daquela voz, mas acabou caindo no esquecimento.



Há alguns meses, encontrei meu irmão Ronaldo por acaso no supermercado, e ele me mostrou entusiasmado em seu celular a mesma música do filme, uma interpretação de Somewhere Over The Rainbow (Mágico de Oz) e What A Wonderfull World (Louis Armstrong) num medley delicioso, todo composto de voz e ukulele (alias, virou um clássico, praticamente um hino).

Parente do cavaquinho português. Erick Clapton e Jimmy Hendrix provaram o gostinho.
Ronaldo me disse que tinha visto num canal por assinatura um documentário sobre "Bruddah IZ", como também é conhecido Israel Ka‘ano‘i Kamakawiwo‘ole.



Iz foi e é um dos mais importantes artistas havaianos. Sempre reconhecido pela boa música, com letras que exprimiam o amor pela sua cultura e raízes, pois era descendente de uma linhagem pura de nativos havaianos. Nunca ocultou a sua posição a favor da independência do Havaí e de defesa dos direitos dos havaianos.


Na música desde 1976, no Grupo “Makaha Sons Of Ni'ihau, desde sua fundação, esteve presente em todos os 9 álbuns, mesmo depois de ter lançado carreira solo à partir de 1990, de onde vêm seus 4 álbuns inéditos. Manteve-se no Makaha até 1992.

Ao longo da sua carreira musical, Iz debateu-se com muitos problemas de saúde relacionados com o seu peso excessivo. Vem daí o apelido carinhoso de “Gentle Giant”, pois com seus 1,88 m de altura, chegou a pesar 343 kg. Aos 38 anos, faleceu devido a problemas respiratórios causados pela obesidade. (20/05/195926/06/1997, Honolulu).


Além de "Ka'ano'i" (1990), "Facing Future" (1993), "E Ala E" (1995) e "In Dis Life" (1996), em 1998 foi lançado um release de um show de Honolulu como “the Man and His Music - In Concert” (1998) e em 2001 um póstumo com material inédito de iz – “Alone in IZ Word” ( 2001).


Over the rainbow/wonderfull world tornou-se um tipo de mantra que eu tenho que ouvir pelo menos uma vez por dia de preferência pela manhã. Pra lembrar que a vida toma rumos às vezes inesperados, mas só se não estamos nas rédeas.

MAHALO.

3 comentários:

Fernando Cury "o Pandão" disse...

Bacana o cara!

Infelizmente estava ignorante sobre ele até ler seu post...

Então lhe agradeço! rsrsrs

[]s

Anônimo disse...

Horra meu, depois desse post cabriocárico de informativo e da filosofada no final, só posso lhe dizer o seguinte ...

Parabéns ! Deve ter dado um puta trabalho pesquisar isso tudo !

Anderson R.

paulo ricardo disse...

ALOHA!!!

TUDO BEM.

Parabéns pelo seu interesse. Queria saber como faço para baixar a música dele pois quero divulgar a boa música havaiana por toda a Porto Alegre.

Um Grande Abraço
Aguardo seu retorno.